sábado, 5 de agosto de 2006

Por um mundo demasiado justo! (um olhar no futuro)


Algo me tem aborrecido. Já não é a primeira vez, nem será a ultima, que me acontece entrar numa casa de banho pública e reparar, que na porta, o letreiro do homem e do deficiente se encontram na mesmo local!
Não é uma questão de separatismo, nem sequer uma questão de me querer dissociar dos incapacitados que por aí existem. Simplesmente quero um pouco de igualdade...
Ou se assume que todos os homens são uma cambada de deficientes e que por consequência as mulheres passam a fazer um certo “desconto” a certas atitudes por nós preconizadas, ou então os senhores das cadeirinhas têm uma casa de banho para eles(casa de banho essa onde eles poderão pendurar o seu “sinalzinho”)!
É que se pensarmos bem, até os bebés (seres que não têm idade para ir sozinhos a casas de banho públicas) têm o seu letreiro, solitário, numa porta do tamanho de pessoas grandes! Das duas uma, ou reduzem o tamanho da porta dos bebés e eles têm o direito de ter numa porta um letreiro só para eles, ou, utilizando uma porta normal, colocam-se ambos os letreiros,(dos deficientes e dos bebés) um a 30cm do chão (o dos bebés, pois eles gatinham)e um a um metro de altura(o dos deficientes, pois todos os deficientes andam de cadeira de rodas(este raciocínio é falacioso, pois se assim fosse, seria mais fácil detectar os deputados deficientes que existem no nosso país!)).
Outra coisa que me aborrece é que todos os incapacitados são julgados da mesma forma, ou seja, só se é incapacitado se se usar cadeira de rodas! Por exemplo, um tipo que venha para a casa de banho com canadianas? Como é? Como é que o senhor se segura de pé e pega no seu falo para urinar? Não é isso uma “incapacidade”? Indo mais longe, será que ele não terá o direito de ter uma placa com um “bonequinho” preto com umas canadianas?
Mas ainda existe outra, porque é que o “bonequinho” é sempre preto?
Em África todos os “bonequinhos” são brancos? Não sei, eu não quero instalar aqui um clima ostracisante, mas concluindo a minha dissertação, gostaria de rematar dizendo:
Para o bem de um mundo mais justo, equitativo e unido, na minha opinião, se a casa de banho dos homens têm um sinal de deficiente por baixo, a das mulheres também deveria ter! Elas não são mais do que nós! A única coisa que eu quero é um mundo justo!




Tenho Dito!

Sem comentários: