quarta-feira, 24 de junho de 2009

Tempo em contratempo como alimento.

Ruminar. Mastigar-se o tempo com vontade, quebrar-lhe os nervos, apreciar o seu gosto. Passar o tempo, passar o tempo com gosto, gostar de se passar o tempo. Mastigar aquele tempo, aqueloutro também, juntar-lhes os sabores e misturar-lhes as carnes. Cravar bem fundo os dentes no tempo e dividi-lo em parcelas. Parcelas grandes, parcelas enormes que trinchamos em outras mais pequenas e outras diminutas e em outras ínfimas! Deglutir o tempo e deixar que tudo se misture. Amassar-lhe as partes, tirar-lhe os vincos e fazer uso dele! Deglutir o tempo e apreciar a sua redução a pequenos pedaços, menores ainda que os iniciais, menores ainda do que os primordiais, tão menores que se não distingam uns dos outros, tão pequenos que só reste o liquido e o sólido, tão pequeno que só existam partes para deixar no lixo, tudo tão diminuto que nos restam apenas os pequenos pedaços que ficaram na boca e nos incomodam por estarem presos nos dentes, que nos incomodam por nos darem a sensação de termos tempo de mais para estarmos até preocupados com os nossos dentes. Tudo tão pequeno que já tudo tenha muito pouco sentido e nos apercebamos que temos mais tempo para ruminar, mais tempo ainda para mastigar com vontade, para apreciar o gosto, dividir e seccionar e depois deglutir! Tudo tão pequeno ao ponto de parecer ridículo este passar de tempo onde apenas se rumina, tão ridículo ao ponto de se dar o salto para o deglutir apenas, tudo tão ridículo que quase se morra de fome por se não ter tempo de se poder apreciar o tempo degustando-o!

3 comentários:

gui.tattoo disse...

Caro amigo (permite-me este à vontade)!!!

Esta foi a única forma que encontrei para te contactar, por isso cá vai uma mensagem que deveria ser privada, mas que ao mesmo tempo não é segredo para ninguém.
Se não sabias, ficas a saber: eu tenho um blog... sério, mais um na blogosfera, mas é meu ;) ...
e todas as sextas-feiras dou destaque a humoristas portugueses (ou que comuniquem na nossa língua materna)numa rubrica que apelidei de "Assim vale a pena RIR".

Como achei (não, tive a certeza) que davas bons motivos para os visitantes do meu blog dar umas risadas, resolvi usar a tua imagem e o teu vídeo para que a "minha" malta passe a conhecer-te e tenha a oportunidade de entrar alegre e animada no FDS que se aproxima.

Espero que faças o obséquio (é assim que se escreve?) de dar lá uma espreitadela e um comentário se achares que mereço esse gesto da tua parte.

O atalho é o seguinte: http://gui-tattoo.blogspot.com/2009/06/assim-vale-pena-rir-25-motivo.html

Da minha parte é tudo, resta-me mandar-te um Xi larguinho, porque com este calor não gosto deles apertados...

E até um dia destes ;)

gui.tattoo disse...

... já agora, uma questão que julgo pertinente:
O que raio é um "achismo" ?
será um Atchismo com erro ortográfico, ou comentário em dialecto mirandês ?

Agradeço explicação para matar a minha ignorância.

Obrigado

Atchim....acho que me constipei...

EUREKA é isso: achismo é achar que um atchim é um comentário em forma de espirro...

Acho que também já estou a alucinar com esta história

Obrigado pelo -"santinho" ;)

Flanco disse...

belo texto.