segunda-feira, 18 de maio de 2009

Sonhos

Lembro-me dela a sonhar no vazio, preenchendo-o, com cores aromas e formas. Vejo o raio de sol que se escapa por entre as folhas e que a ilumina e enquanto me embala no mais calmo sono.
As imagens que vai agregando vão-me dando espaço, lugar, para me acontecer, me fazer.
A brisa sopra um pouco mais e as folhas agitam-se. O sol realça-a e sua beleza inunda tudo!
De repente o sorriso abre-se, mas de tal forma, com tamanho sentido que tudo se cristaliza, para que possamos assistir a tudo, para que possamos degustar tudo! As palavras falham-me por ora…

Continuo na ilusão de a conseguir confinar a verbos e adjectivações, continuo a enganar-me a pensar que a traduzo.
E pensar que a mim se entrega, que é a mim que dá a oportunidade de a ver. Assim, tão em si, tão franca e frágil, daquela forma como não se mostra a outrem!
Só me ocorre ama-la, pois todo o meu ser pensante se perde ao vê-la!

1 comentário:

Pri disse...

Não canso de ler e reler....

=}
Incrível.
Você.