terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Agir!

O pensamento abstrai-se por meio de conjecturas. Reflicto, constranjo a racionalidade a um quarto escuro e procuro um modo de reagir, de lidar com tudo. O meu coração pára só para que me seja simples de escutar aquele que bate mais forte. Ao escutar o trovão de tal batida, solto meus pés por uma dança louca, entre a bravura e a brandura de um espírito mole. Continuo a minha dança, observando que por ora danço sozinho, dou graças ao céu por a minha racionalidade estar aprisionada, por ela não se poder fazer notar neste momento!
Caso eu fosse mais velho, obviamente a minha dança não poderia ser tão abrupta, não seria com certeza tão aberta e impulsiva (ainda bem que ela se encontra num quarto escuro). Solto as amarras da minha imaginação e em breves momentos vejo que danço já outra dança, uma dança na qual a batida daquele coração me acompanha, uma dança onde os passos são tão leves e soltos que já me sinto em pleno voo!
Estou envolto num ar tão sustentável, um ar que me mantém a pairar numa aura de algo indefinível, uma paisagem de um belo arvoredo rodeado de mar consome a minha imaginação a cem por cento!
A dança cansa o meu corpo, ele já parece que se arrasta pelo chão em movimentos e gestos cada vez mais intrincados, no entanto envoltos numa candura doce de se apreciar. Em contrapartida meu espírito revigora-se a cada pé esquerdo que salta para a frente de um pé direito! A minha racionalidade, pouco e pouco, consegue sair do jugo opressor do sonho, no entanto ela não se manifesta, ela não se rebela contra o sonho, não o constrange, mostrando para toda a gente que ele é absurdo, não, a minha racionalidade transporta o meu sonho, iluminando-o com uma cor de verdade, com um toque de possibilidade e confiança de que tudo correrá bem.
Consegui finalmente soltar a minha racionalidade e por incrível que pareça, ela não se apoderou de mim, apenas me tranquilizou e mostrou que é bem capaz de todo o sonho ser real!
É então que chega, o momento de agir, chega!
Amo-te!

1 comentário:

Luna disse...

Me faltam a palavras.
Me falta o ar.
Me falta o chão.
Me falta vc.............

amo vc Ri, amo!