segunda-feira, 27 de outubro de 2008

No segundo em que me sinto!



(ilustração Andreia P)

E é então que uma mistura de palavras que bafejam meus sentidos. Uma mescla tão nossa, que de se ligar ao mundo, ela transforma tudo! Memorizo um segundo, mas um segundo é já tão cheio e pleno de emoções, que não tenho memória suficiente para armazena-lo. É demais, o viver é demais! Oculto-me, escondo-me, nego-me a isto ou aquilo, mas deixo-me ir, inocente e frágil, por um caminho não visitado antes. Exploro no meu corpo as mazelas de outros tempos e percebo que elas não são já mazelas, mas sim características minhas. Sou uma pessoa caracterizada por um passado vivido a custo. Que custo é esse? Que coisa tão forçada passei eu? Por vezes sinto-me minúsculo por pensar que a minha vida é sôfrega, por pensar que eu sou tosco e frágil. Mais forte do que pensas, repete-me alguém insistentemente… Mas todos sabemos, só ouvimos o que queremos, quando queremos. É impressionante por vezes a vontade que tenho de me mandar no escuro, no esquecimento, só para ser quem sou, sem me preocupar com quem eu seria se me esforçasse mais um pouco!
Faltam-me as palavras para falar sobre isto, por mais que tente, parece existir um vácuo em mim, uma “pseudo-censura” que me impede de escrever sobre o agora, sobre o que passo e vivo, sobre o que sinto e sonho! Tenho um segredo, um segredo tão meu, tão nosso, que nem sei com quem partilha-lo! Estou cansado de palavras pelos vistos, elas não me parecem suprir a necessidade que tenho de gritar ao mundo, elas parecem-me vãs…
Toda a palavra é vã para quem não quer falar e pelos vistos, eu não quero falar.
Sinto-me dominado por uma vontade de me calar, uma vontade de não comentar nada e só apreciar o agora, sem julgamentos, sem reflexões, sem medos. Sinto-me sem medo e completamente confiante, em tudo, em ti! E és tu a pessoa em que eu confio, és tu o algo em que me largo para poder descansar, és tu que eu deixo que me carregue um pouco, preciso de ser transportado, preciso de ser guiado, para lá, para longe. Leva-me!
Guio-me em ti e sou só um, sou só eu, finalmente sou só eu!
Estou dentro do mundo, mas sinto que o observo… é bom!

És livre para me guiar por entre o mundo, por entre as emoções e sensações…

1 comentário:

Pri disse...

Eu te amo um absurdo!
e é bom, é bom saber que você me confia tudo de melhor que tens.. e que eu confio que você não vai me deixar cair.

tão bom foi você ter aparecido pra mim assim, de presente.

te amo meu lindo.