quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Congestionamento sensitivo.



(ilustração andreia P)

Harmonia. O beijo encontra o lugar para acontecer e aí, acontece! A insaciável vontade de se moverem na direcção um do outro, faz com que as mãos suem e se prendam em sensações que, nem sei…
Poesia vibrante e inigualável transborda do olhar, escorre pelo rosto e vem aterrar aqui, em mim, no meu colo que só pensa a hora de se abeirar dela para a confortar.
O beijo repete-se, sempre com um novo enlevo, com algo de indizível. As mãos passeiam e perdem seu suor, descarregando no corpo do outro, todo aquele desejo e vontade de se fundir.
O tempo congela e então existe tempo para se olharem e falarem. Apenas uma palavra, muda, uma palavra que não é referida em lado algum.
O calor regressa e o suor brota novamente.
Beijar a sua pele e sentir o seu cheiro, permitir-me ao passeio por suas curvas, deixar meus lábios marcados em seu corpo. Parar meu coração, só para a sensação não ser interrompida por ruído algum. Parar num silêncio que só me prende ao seu olhar e me deixa antever algo de belo.
Entretanto, contornos realçam-se na passagem das luzes da noite. Um rosto tão dela que parece ser magico, perco-me nele, percorro-o! Percorremos a cidade. É noite e toda a iluminação parece indicar-nos que a cidade dorme. Um semáforo vermelho surge, é só mais uma desculpa para um doce e demorado beijo. Toco-lhe a perna e ela encolhe-se, sente-se amada e isso faz com que sorria. Todo o seu rosto se abre transpirando calma. Olho-a fixamente, ela sabe disso, mas para bem do jogo, finge nem se dar conta. Outra paragem, outra troca de fluidos, quente e assustadoramente viciante. O tempo parou, o semáforo troca de cores e ninguém nota, estamos demasiadamente fixados no nosso mundo para nos darmos conta de que existe gente lá, do lado de fora. O tempo é só nosso, tão nosso que de pouco nos importam os barulhos vindos do exterior, só nos interessa o burburinho interior, entrecortado por carícias e sonhos. Somos forçados a prosseguir o caminho, a noite vai longa, mas parece-nos correr demasiadamente rápido. Queremos a todo o custo parar um pouco mais, naquele tempo, naquele espaço. A cidade louca, quase nos consome, mas não nos importamos e consumimo-nos um ao outro.
Mais um beijo, um abraço e uma palavra, outra e ainda outra. As palavras parecem não querer acabar e por isso mesmo, recusamo-nos a ir embora. Pertencemos á cidade e um ao outro.
Paramos o carro num lugar qualquer e soltamos as amarras do desejo. Já só estamos bem nos enleios um do outro, já só nos sentimos se nos estivermos a tocar. Ela olha-me nos olhos e eu penetro-a, vou fundo nos pensamentos dela e sussurro segredos e encantos a cada uma das maravilhas que encontro no seu interior.
Ela sai de si mesma e consome-me, por dentro, por fora, consome-me inteiro! Ficamos nisso horas, dias e até anos, só um beijo nos acalma, só “aquele” calor nos resguarda da intempérie exterior.
Eu paro o tempo e aproveito para me manter a uma distancia suficiente para admirar o momento. Já não somos iguais, comentamos um ao outro sem quebrar todo aquele silêncio. Já não somos os mesmos…
Ela ergue sua mão e afasta ligeiramente os dedos, percorre todo o meu rosto num gesto amplo e adorável, fico perdido. Sinto que desmaio de tanto sentir, de tanto me transformar. Ela segura meu pescoço e com a língua, humedece ligeiramente os seus lábios, prontos para me tocarem com uma candura só dela. Fecho os olhos, nada me passa pela cabeça naquele momento, sou um infinito vácuo de confiança e de absorção do que ela me quer dar.
Beija-me!

O tempo passa, tudo passa. Recupero os sentidos e olho-a fixamente. Trocamos ideias sobre tudo, naquele silêncio que o nosso olhar fala, dizemos, um ao outro, tudo o que nunca havíamos proferido. Felicidade irrompe, ambos sorrimos e percebemos que tudo é viável. Finalmente, o sonho metamorfoseasse e ganha uma forma concreta.
A cidade prossegue seu ritmo normal e nós, nós embalamo-nos mutuamente numa realidade só nossa.

5 comentários:

Mariane Marcheti disse...

Nossa, estou sem palavras...
Texto muito bonito!


Um beijo ;*

Ricardo L. disse...

muito obrigado!tem muitos mais para ler :) beijinhos

Monica disse...

Fantástico!Tenho gostado muito de ler os teus textos...Estão lindos Ricardo! Parabéns...Bjs :)

Ricardo L. disse...

muito obrigado!

Ana disse...

este texto está muito bom, amigo do meu coração!
a mensagem não podia ser descrita de forma mais bela

bjoka