quarta-feira, 2 de julho de 2008

Desculpas...










Homem 1 - Desculpa!

Homem2 - Porquê?

Homem 1 - Desculpa!

Homem2 - Mas porquê?

Homem 1 - Não fales, aceita só as desculpas…

Homem2 - Não, não desculpo algo que desconheço!

Homem 1 - Tu não queres saber, a sério… Desculpa simplesmente.

Homem2 - Estás a começar a assustar-me, diz-me logo porque me pedes desculpa!

Homem 1 - Não posso, é grave demais!

Homem 2 - Não tas a facilitar…

Homem 1 - Nem posso…

Homem 2 - Nem podes o quê?

Homem 1 - Facilitar!

Homem 2 - Bebeste?

Homem 1 - Desculpa!

Homem 2 - Ah, então foi isso, bebeste…

Homem 1 - Não, já te disse, só quero mesmo que me desculpes!

Homem 2 - Não estás a fazer sentido, mas ok, eu desculpo-te…

Homem 1 - Que alivio! Não imaginas o peso que me tiraste das costas!

Homem 2 - Não percebo porquê, o que é que eu desculpei afinal?

Homem 1 - Eu estive com a tua mãe hoje…

Homem 2 - Não! Não pode ser! Tu prometeste…

Homem 1 - Eu sei, mas não consegui resistir… ela faz aquele olhar dela e tu sabes… já passaste o mesmo, não dá para resistir àquele olhar dela. E ainda por cima, ela fá-lo tão bem…

Homem 2 - Como é que pudeste?! És um traidor, tu tinhas prometido… da ultima vez, tu prometeste…

Homem 1 - Eu sei, eu sei, mas aqueles olhos, aquela postura, tu sabes como é

Homem 2 - Sei, mas mesmo assim, não acredito. Como foste capaz?

Homem 1 - Ela curvou-se, tu sabes como é quando ela se curva e me fala naquele tom de voz…

Homem 2 - A minha mãe! Como é que foste capaz!? Aposto que o meu pai e a minha avó estavam a ver esse triste espectáculo, não é? Todos participaram, certo?

Homem 1 - Tu sabes como é, ela curva-se, ela tira… nem consigo falar sem me babar!

Homem 2 - Pára, tu és um porco!

Homem 1 - A sério, ela tira-a para fora, bate com ela na mesa, toda a casa fica empestada com aquele cheiro! Não dá para resistir, ela faz de propósito!

Homem 2 - Traíste-me!

Homem 1 - A sério, o marinado de marisco da tua mãe é irresistível, não sobrou nada! Desculpa, perdoa-me, por favor!

Homem 2 - Naaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaão! Ai a dor, ai o sofrimento…