domingo, 20 de abril de 2008

H de esquizofrénico





Reparei ainda á pouco
Sentia um odor, não era meu
Era mágico!
Uma mistura de trágico com risível.
Era de facto alguma coisa…
Olha, passou outra vez.

Que bom. Desculpa, caí no ridículo…
Estava a tentar discernir o algo que exalas.
(Lá está ele outra vez! Que penso eu?
Pára! Diz-lhe) Amo-te…
Perdoa, por vezes a força que insiste
é superior á que resiste.

(Problema de menor, basta ressalvar-me,
Algo impossível, devo acrescentar.)
Mas que euforia, parece que me ria…
Afinal não, apenas me via em ti,
Nos teus olhos, no teu rosto, no teu tu!
Perdoa-me não sei falar sobre o tabu!

Amu-tu? Será? Será que transformando,
Posso ir dissimulando o que tento, refutando,
Esconder, enquanto ando (para de rimar com “ndo”)
Para aqui e para acolá?
Pois… não fará muito sentido, mas será que… repetindo?
Amu-tu? Ouves então desta feita? (…)

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Não penses, faz!





Estava a pensar no outro dia e percebi… hei, tu tens o dom de pensar, reflectir, tu consegues parar para pensar em ti, nos teus problemas e projectos de conquista.
“Estúpido!”, disse eu… Sempre soube que o segredo para um boa e feliz vida era estar calado naqueles momentos de silêncio em que tenho de me deparar comigo!
É exactamente nesse momento, aquele que vai desde a reflexão até á tomada de decisão que um tipo como eu tem de ficar quieto, calado e se possível, morto para ele mesmo!
Esta coisa do livre arbítrio, tramou-nos bem o filho… pois, ninguém sabe muito bem de quem ele é filho, mas que nos tramou, isso é verdade!
Não seríamos todos nós muito bem mais felizes se tudo o que fizéssemos não tivesse explicação? Se tudo o que fizéssemos estivesse apenas a cargo da nossa vontade no momento? E se não houvesse remorso e REFLEXÃO? Raios mais a reflexão e o pensamento… Estão todos errados, ouviram? Vocês, “mestres do pensamento” o tanas ()! Raio de gregos, não sabiam estar quietinhos a possuir-se uns aos outros e a macacos e a meninos jovens? Tinham de vir arruinar a nossa vida, estudando e reflectindo sobre o pensamento humano e seus derivados! E se fossem ver se chove? Se escrevessem sobre como “o ver se chove” pode aumentar o tamanho da nossa resistência ás provações é que o faziam bonito! Raio de anormais! Com aquelas togas armados em sábios… Nem se aperceberam, eles não faziam ideia… O segredo para a democracia é o desconhecimento e os gajos arruinaram com o segredo da coisa que, supostamente, mais gostavam!
Toda a gente sabe que quem é burro, pensa que é livre, ou seja, quem não sabe tem o poder… Não vêm o Bush? Ora bolas, o homem não pensa e isso fá-lo feliz! Só um gajo inteligente é que não vê isso…
Por amor de Deus, anda aí toda a gente com o:

-libertem o Tibete,
- libertem isto,
-libertem aquilo

Para mim a palavra de ordem é:

-aprisionem o pensamento,
-estagnem com a reflexão,
-ofereçam um grande enxerto de porrada a quem pense, que pensa!

Como o mundo seria melhor se fôssemos todos cordeirinhos… Sempre juntinhos e a apreciar a vida sem a degustar ou esmiuçar…