sábado, 24 de março de 2007

Repensando a razão das coisas...

Inevitavelmente as coisas alteram-se, o menino que ontem brincava com um carrinho fabricado com amor e carinho pelo próprio pai, nos dias de hoje tenta encontrar maneira de pagar as 35 prestações do pc portátil que teve de oferecer ao filho, afim de que este não se sentisse inferior aos outros “meninos” cujos pais estão tão endividados que apenas se recordam da simplicidade dos tempos dos carrinhos de lata!

É a isto que chamamos “evolução”! É neste mundo de consumo e de frivolidade que nos temos de aperceber da necessidade das pequenas coisas que previamente nos salpicavam a vida de rasgos de felicidade. Esta nova geração é preocupante, não por culpa deles, mas por culpa daquilo que nós nos tornamos. É sempre o passado que molda o futuro, nunca o contrário! A moralidade dos costumes e o usual rito da condenação de novos costumes costuma usurpar o poderio do livre arbítrio existente nas novas gerações. É portanto imperioso ofertar aos “novos” pensadores livres a oportunidade de se aproximarem da fria realidade, afim de que estes tomem em mãos o seu lugar no domínio das suas vidas!
Permitindo-me a mim mesmo a tomada de decisão, anuncio aqui o desprendimento de qualquer moralidade ou decoro nas minhas seguintes palavras:

Vivemos numa sociedade de merda!

Agora que consegui desabafar um pouco, anuncio que a partir de domingo, dia 25/03/07, este blog reata as suas funções menos próprias após algum tempo em inatividade.

1 comentário:

Niquinha disse...

Pronto eu acho que depois deste texto posso expor tambem a minha ideia sobre o como faz falta uma virgula a meio do caminho de toda esta mudança porque custa deixar o passado por um presente tao pouco sonhado...