quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Romeu Pereira! O Diário de um Forcado Narcoléptico Formado em Jornalismo. (Novos episódios )

Olá.
Sejam novamente bem vindos a este meu espaço interativo, espaço onde eu vos coloco a par, na medida do possível da actualidade que nos rodeia.

Sei que tal e qual uma bela adormecida qualquer, me mantive ausente durante um perlongado período de tempo, para ser mais específico, desde o dia 16 de junho de 2006.

Confesso que o que aconteceu foi deveras estranho, por isso mesmo vou tentar fazer uma pequena síntese dos meus últimos meses.Tudo aconteceu á cerca de 4 meses atrás...

Estava eu no meu escritório prestes a escrever o meu artigo para este afamado blog, quando logo após ter inserido as duas primeiras letras do artigo (Be) sou possuído por uma enorme vontade de dormir, até agora nada de estranho. Aquilo que aconteceu a seguir é que torna isto mais rebuscado.

Quando acordei reparei que o meu computador tinha sido privatizado, sem ter tempo para esboçar qualquer tipo de reacção dou por mim a ser possuído novamente por aquela vontade de dormir! Dia 13 de Outubro acordo, um pouco estremunhado, olho á volta do sítio onde estive a dormir durante mais de 3 meses e vejo que nada subsistia, apenas eu jazia nu, no chão ladrilhado da minha bafienta cave escura. Aquilo chateou-me um bocado. Então para tentar desanuviar um pouco, decido ir ao teatro. Vesti alguma roupa que por acaso se encontrava no chão da entrada e parti à aventura, decidi naquele momento ir ao teatro, pensei que após quase 4 meses de sono profundo poderia ver algo de novo no panorama cultural Portuense! Entrei no teatro, nunca mais me esquece, era um pequeno auditório, recostei-me na cadeira e tentei apreciar o espectáculo. Recordo-me ainda da voz off : “ Por favor desliguem os vossos t..” não me lembro de mais nada. Cerca de 15 horas depois acordei.

Não podia acreditar quando me apercebi da realidade, ali estava eu, Romeu Pereira, Forcado, Narcoléptico e Formado em Jornalismo no epicentro da ocupação do Rivoli! Após me ter inteirado da situação comecei por escrever em panos enormes o nome do sítio onde estava para, caso adormecesse, me lembrar imediatamente do sítio onde estava, mas pelos vistos havia um engraçadinho que achou piada á minha doença e sempre que eu adormecia a meio da escrita do nome Rivoli ele achava por bem brincar com a minha cara escrevendo coisas como “livre” “lução” “luta” “lixo” etc. Após ter adormecido pela quinta vês decidi explicar-lhes a situação:

-se quiserem escrever palavras de ordem, o melhor é fazê-lo em estandartes separados, aqui escreves Rivoli e neste livre e neste luto e assim sucessivamente.

Eles iam para me responder mas eu adormeci. Não percebi muito bem como, mas quando acordei novamente, alguns dias depois estava a depor no tribunal e o senhor juiz só me dizia:

- Mas o senhor não se lembra de nada do que aconteceu no interior daquele teatro? Mas você andava a dormir ou quê? Pensa que pode fazer assim pouco da autoridade? Mas o que é isto?

Sei que após esta série de perguntas relacionadas com o tema “Cultura e Conhecimento” adormeci!

Assim passaram estes quatro meses da minha atribulada vida!

1 comentário:

Niquinha disse...

O Diário de um Forcado Narcoléptico Formado em Jornalismo...Jasus! muito bom muito bom....