sexta-feira, 16 de junho de 2006

Nunca mais tenho 22 anos!

Tenho 21 anos. Apesar de tudo, à minha volta, tudo o que vejo, vejo-o com os olhos de uma pessoa mais velha, parece que tenho 22 anos!
Tudo me parece demasiado rebelde, inovador, tudo tem um aspecto contemporâneo...
Acho que sou maduro demais! Toda a gente que me rodeia parece ter atitudes de pessoas mais novas, isso afecta-me!
Ainda ontem á noite quando regressava a casa, depois de uma noite de Pro Evolution Soccer V com as pessoas da minha idade (21 anos), pensava quão velho estava. O que me impediu de apreciar os prazeres daquela juventude. Todos eles me pareciam demasiado inconsequentes, bebiam, fumavam, riam, gritavam (a enumeração é infinita, raio de putos hiperactivos!) quase que me cansava, só de os ver mexer! A verdade é que eu só conseguia pensar , no quanto me doíam os nós dos dedos e como estava a sofrer graças a estas mudanças de temperatura (o tempo frio molesta-me as articulações).
Começo a acreditar na tão falada, “Generation Gap”, ou lá o que eles dizem, eu sou velho demais para compreender estes estrangeirismos!
Muitas vezes dou por mim nos largos e nas praças, junto das pessoas com quem me identifico mais. Os “meus Jovens”! Pessoas com idades compreendidas entre os 22 e os 70, pessoas vividas! Sinto-me próximo deles porque sofremos da mesma forma. Faz hoje oito dias , ou sete (por vezes a memória escapa-me) que eu e a minha “malta”, como eu carinhosamente lhes chamo, fomos ao café Ceuta perto de Cedofeita. O nosso objectivo era claro, fingir convincentemente que percebíamos alguma coisa de política. O objectivo foi logrado, quando um rapaz de 18 anos se sentou numa mesa ao nosso lado e nós, sem mais nem porquê, começamos a insultá-lo por ele ter um piercing na orelha! É claro que não chegamos a falar de política, mas isso também não interessa nada, insultamos um jovem, isso era mais que satisfatório para nós!
Bem, em resumo aquilo que eu quero dizer é que eu sinto uma enorme pressão para ser um jovem, quando o que realmente quero é ser um velho!
Quero “sair do armário”! Quero poder sair de casa com uma camisola de flanela num dia de calor intenso, sem que ninguém me aponte o dedo! Quero poder criticar um miúdo de 18/19 anos no autocarro sem razão aparente, sem ter de sofrer consequências! Quero andar na rua e dar indicações intrínsecas mas erróneas a transeuntes deslocados! Quero ser sócio de uma casa de repouso!
Em suma, quero ser feliz!



Tenho Dito!

2 comentários:

Helder Guimarães disse...

sobre saires do armário, não tenho nada a dizer... desde que não seja numa noite de PES5!

Stella disse...

epah... sem comentarios!! flanela ja nao se usa rapaz!!! nem os velhos de 22 anos!!!***:p