sexta-feira, 23 de junho de 2006

A minha odiosa e inacreditável Estação de Televisão Privada!


Pouco existe para dizer. Aquilo que aconteceu, eu não sei! Não sei também o que se seguirá a isto...
Os tempos são outros, existem outras gerações. Prosseguem os tempos sem sequer se pensar naquilo que eles continuam a representar para as pessoas que os vivem. Apesar do mundo dar voltas e voltas, ele não sai do sítio. Há quem diga que o defeito é de fabrico, que nem todos nascemos com os mesmos direitos, que nem todos temos os mesmos deveres. Dizem também que devemos olhar uns pelos outros...
Pois bem, tudo começou assim! Primeiro veio o Big Brother, depois foi o pontapé na Sónia, depois ninguém fazia quilómetros por ninguém! Chegou-se a uma altura, em que era o senhor com cabelo estranho e com a mania que era senhora, que ia dar banho aos porcos, até que chegou o dia em que já andava a domar leões...
Agora, o Mário já não anda de Ferrari, está em Custóias. O Telmo já não entra pela guarita, existem hemorróidas. O Frota anda afrontado (bem esta é um pouco triste, mas acho que tinha de fazer referência ao Brasileiro, caso contrário poderiam, acusar-me de xenofobia).
Chegamos a um tal ponto em que o mundo que conhecemos, fomos nós que criamos. É óbvio que uns representaram um papel mais preponderante do que outros, mas já se sabe, quem não vota contra, está a votar a favor. Quem se absteve, agora está calado...
Agora o “adorável mundo novo” é ocupado por um odioso e inacreditável marido ...
O que será que eles vão inventar mais ?


Tenho Dito!

2 comentários:

Helder Guimarães disse...

Desculpa Ricardo, o resumo tem um grave lapso: falta o Zé Maria e as Galinhas. Sobre o noivo, só queria dizer que é o que é, nem mais nem menos. E nem sempre é assim...

CARLOS BRUM disse...

Pois Ricardo descobri este teu blog por caminhos totalmente diferentes, daqueles que poderias imaginar. Parei, vi a foto do menino e li. Pouco entendi, apesar da redação portuguesa e de eu já conhecer (com o meu nariz,pernas e mãos) a cidade que vives: O Porto. Estou, portanto comentando algo que não entendi, mas achei tri legal te enviar um alô brasileiro, desde o sul do Brasil, mais perto de Buenos Aires, Argentina; do que Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro. Estou num balneário do Rio Grande do Sul que se chama Capão Novo. Eu e meu filho ( ele está com 22 anos e é um ótimo escritor, tendo publicado 9 livros) possuímos uma Editora de Livros e já viajamos pelo Mundo inteiro. Nosso site é:
www.br1editores.com.br
Nos visita cara!
Carlos Brum